Dia Internacional da Mulher: mulheres que viajam sozinhas

By in ,
Dia Internacional da Mulher: mulheres que viajam sozinhas

Você faz parte da turma de mulheres que viajam sozinhas? Hoje é Dia Internacional da Mulher e a Agência Viajar Mais vai passear pela história e lembrar da importância da igualdade entre os gêneros, inclusive para Viajar! 

Mulheres que viajam sozinha

Cada vez mais aumenta o número de mulheres que viajam sozinhas, conhecendo os destinos dos sonhos, fazendo amigos pelo caminho e vivendo experiências incríveis. 

De acordo com pesquisa realizada pela MaxMilhas mostra que em 2019 cresceu em 8% o número de mulheres que embarcaram sozinhas. 

Em outras palavras, viajar sem a companhia de alguém, faz com que a viajante tenha mais liberdade de montar o seu roteiro. Apenas seguindo suas preferências e horários sem precisar fazer concessões.

Viajar sozinho pode te transformar: dicas e inspirações

Como já falamos, o grupo de mulheres que viajam sozinha está crescendo e isso é resultado de um mundo com mais direitos, empatia e liberdade. 

Com o passar dos anos, fica cada vez mais difícil marcar uma viagem com os amigos e familiares. Dessa forma as solteiras e apaixonadas por viagem cansam de esperar pela companhia e pegam a estrada sozinha.

Por outro lado, as viagens a trabalho também cresceram nas últimas décadas, com a globalização e mulheres ocupando cargos de liderança, é possível ver cada vez mais mulheres sozinhas nos aeroportos.

Segundo um levantamento do Ministério do Turismo mulheres (17,8%) desejam viajar sozinhas mais que os homens (11,8%).

Atualmente, as mulheres têm a liberdade de viajarem desacompanhadas, de ir e vir para onde sonham e sem precisar da companhia ou autorização de ninguém. Surpreendentemente, nem sempre foi assim.

Neste interim, no dia 8 de março, lembramos da luta das mulheres por direitos iguais e viajar sozinha faz parte desta história!

Guia do viajante durante a pandemia: manual de boas práticas do turista

História e as conquistas das mulheres

Em um passado recente, a mulher não poderia viajar sozinha ou sem a permissão de um homem, pai ou marido, que se responsabilizasse e autorizasse ela.

Então, até 1962 as mulheres casadas precisavam da permissão do marido para poderem viajar.

O fato era possível “graças” ao Estatuto da Mulher Casada de 1962, que alterou o Código Civil. 

O Estatuto dizia respeito aos direitos civis das mulheres casadas, entre os anos de 1916 e 1962 no Brasil. Neste sentido, o documento afirmava os princípios conservadores dando direito absoluto ao homem como chefe de família limitando a capacidade de escolha da mulher. 

Veja algumas restrições às mulheres, garantidas por lei, de acordo com o Artigo 242 do Estatuto.

Estatuto da Mulher Casada

“Art. 242 – A mulher não pode, sem o consentimento do marido:

I. Praticar atos que este não poderia sem o consentimento da mulher

II. Alienar, ou gravar de ônus real, os imóveis do seu domínio particular, qualquer que seja o regime dos bens.

III. Alienar os seus direitos reais sobre imóveis de outrem.

IV. Aceitar ou repudiar herança ou legado.

V. Aceitar tutela, curatela ou outro múnus público.

VI. Litigar em juízo civil ou comercial, a não ser nos casos indicados nos arts. 248 e 251.

VII. Exercer profissão.

VIII. Contrair obrigações, que possam importar em alienação de bens do casal.

IX. Aceitar mandato.”

Desta forma, a mulher era juntamente com as pessoas com problemas mentais, colocada como incapaz e em segundo plano na sociedade.

Embora a mulher tenha conquistado o direito ao voto em 1932, o artigo descrito acima gerava inúmeras discussões, inclusive na possibilidade de uma mulher eleita poder viajar sozinha.

Uma breve busca na internet e podemos encontrar um passaporte com as seguintes palavras: “A portadora deste passaporte viaja autorizada por seu marido José de Souza Marques que também a autorizou a regressar ao Brasil.”

mulheres que viajam sozinha

Felizmente, a evolução histórica dos direitos das mulheres alavancou nas últimas décadas, permitindo ao gênero o direito a determinados atos sem a autorização do marido ou do pai. 

Ao mesmo tempo, não precisamos mais de autorização de ninguém, eventualmente uma mala cheia de sonhos e disposição em conhecer o mundo!

Viajar deixa as pessoas mais felizes que bens materiais. Clique aqui e saiba mais!

Feliz Dia da Mulher para todas nós! Que hoje a gente possa se lembrar da importância em termos os mesmos direitos, inclusive o direito de Viajar Mais!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *